3 Filmes (Mais um Plus) Indispensáveis para quem Trabalha com Comunicação

3 Filmes (Mais um Plus)

Indispensáveis para quem Trabalha com Comunicação

Você trampa em agência? Agência digital? Manja das artes? É comunicativo? Entende tudo de Facebook, Instagram, Google, Linkedin, as redes sociais tudo? Não trabalha com isso ainda, mas quer saber mais? Então esse artigo é para você meu companheiro comunicador (e futuros comunicadores). Só a gente entende os desafios da nossa área, ser fora da caixa é só o topo do iceberg. Esses 3 filmes + um plus, podem  te ajudar a ter bons insights.

1 – Obrigado por Fumar (Thank you for Smoking) – 2005

A sátira produzida em 2005 conta a história do principal porta voz dos direitos do tabaco nos Estados Unidos, Nick Nailor, que promove os benefícios do cigarro. Ele utiliza de uma linguagem provocadora e grandes eventos da mídia para salientar sua luta contra o que ele chama de “cruzada injusta” contra produtos deste meio.

Nick se junta a outros representantes “injustiçados” como Polly Bailley, que representa a indústria de bebidas alcoólicas e Jay Bliss, argumentando a favor das armas de fogo. Juntos formam o M.O.D squad, “Merchants of Death.

A importância do filme para comunicadores é a relação do personagem principal com a mídia e a maneira que ele a usa em seu favor. Um bom profissional deve saber se comunicar com seu público independente do meio ou produto. Não é por nada que a assessoria de imprensa é um setor que está ganhando cada vez mais espaço tanto dentro de empresas, como de agências, até mesmo as digitais.

Na internet as notícias e a velocidade de informação chega ao consumidor/público cada vez mais rápido e as agências digitais devem estar preparadas para lidar com informação disponível. Principalmente em casos de controle de crises. Ultimamente, grandes empresas estão perdendo grandes batalhas para a internet.  Como por exemplo, a Friboy, que ao tentar apaziguar uma crise, veiculou comerciais antigos, deixando a impressão que a carne ofertada estava quase dois anos vencida.

 2 – Os Delírios de consumo de Becky Bloom (Confessions of a Shopaholic) 2009

Como falar da relação dos consumidores com o capitalismo sem trazer esse filme? Becky pode parecer louca, mas ela é na verdade, uma caricatura exagerada de qualquer pessoa que viva em grandes cidades hoje. Na verdade, com a internet, você não precisa nem viver em um lugar movimentado para ser quase tão consumista como ela, as lojas hoje te seguem para quase qualquer lugar do mundo. Agradeça o Google e as agências de e-commerce por isso.

O filme transmite com maestria a relação dos consumidores com as lojas e o como eles querem se sentir ao comprarem um produto. Qual sensação aquela marca transmite? Como o comprador se vê usando aquela determinada roupa? Como ele que se ver? Como você quer que ele se veja? Essas são perguntas que qualquer comunicador precisa se fazer.

Sinopse: Rebecca Bloomwood consegue é um emprego como colunista de finanças, porém seu sonho mesmo é trabalhar em uma revista de moda lançada pela mesma editora.  Ao mesmo tempo em que sua carreira como colunista vai de vento em popa, sua compulsão por compras por acabar de vez com tudo que ela conquistou e arruinar suas chances de trabalhar em sua revista preferida.

Outra recomendação para quem quer entender melhor a relação do consumidor com os produtos, é o filme “Do que as Mulheres Gostam”. Mel Gibson interpreta um publicitário considerado machista que após um acidente, passa a ouvir o que as mulheres pensam. Afinal, a melhor maneira de conquistar as mulheres (e os consumidores) é dizendo o que querem ouvir.

3 – A Rede Social (The Social Network) – 2010

O nome do filme é a Rede Social, acredito que todos já pegaram a sua importância.  Afinal de contas, quantas vezes checamos nossas redes sociais por dia? Eu por exemplo entro no meu Facebook antes mesmo de escovar os dentes e duvido que você seja diferente. Se for, meus parabéns.

Qualquer empresa, agência digital, e-commerce, blogueiro, youtuber e até mesmo, você meu caro leitor, precisam saber trabalhar com esses meios. A sua imagem hoje tem um valor imensurável, qualquer recrutador com certeza vai checar o seu Linkedin (já passou da hora de criar um) e talvez até o seu facebook antes de te contratar. Ele precisa entender quem realmente se encaixa naquele perfil.

A mesma regra funciona para as marcas. Os consumidores também querem saber mais sobre um anunciante antes de comprarem.  Afinal, a competição está cada vez maior e os detalhes são o que vão te diferenciar dos outros comerciantes. Entender as premissas de uma rede social como o facebook pode te ajudar a ter insights importantes sobre o seu funcionamento.

Sinopse: O estudante de Harvard Mark Zuckerberg cria um novo conceito que toma proporções maiores do que ele estava esperando.

Plus – Brinquedos que marcaram época (Toys That Made Us) 2017

A série documentário produzida pelo Netflix utiliza a história de brinquedos para transmitir a importância que todos os setores da comunicação têm no lançamento de um produto. Ele analisa quatro marcas conhecidas nesse meio (J-I-JOE, Barbie, Star Wars, He Man) e enquanto avança em suas histórias, fica claro o papel da mídia e do marketing no sucesso de cada um deles.

É um documentário bem leve e muito interessante que é importante tanto para profissionais de marketing – pois ele explica a importância da escolha do público, funcionalidade e design do brinquedo.  Quanto para profissionais de agências digitais – pois outro fator importante para o sucesso de uma marca está em como ela é comunicada e onde.

Se você não sabe ainda onde quer atuar, esse documentário pode te ajudar a entender quais as funções de cada profissional da comunicação e te trazer bons insights para quando estiver atuando na área.

 

 

 

1984 header-01

O Filme/Livro 1984 e a Reforma Trabalhista.

Quem já leu ou assistiu o filme 1984, sabe do futuro (que agora é passado) era previsto por George Orwell como um controle das massas através de um trabalho incessante e de qualidade inferior, que tem como principal objetivo fazer com que a população se ocupe, gere riquezas para os afortunados, e esqueça que a vida além do trabalho não anda lá tão boa.

No Livro, Winston Smith, o personagem principal, trabalha no Ministério da verdade, que de verdade não tem nada, e único objetivo é de falsificar as informações repassadas para a população, criando e modificando a história para encaixar nas “verdades” colocadas gu ela abaixo pelo políticos do Mega bloco.

É como quando juntaram o Ministério do Trabalho e Emprego, com o da Previdência. Piorou os dois.

Uma realidade aonde o mero costume de se manter um diário, é crime com pena de morte. Visto que a verdade sempre será o que os mais fortes queiram que seja, não os fatos que realmente aconteceram durante determinado tempo.

1984

Essa premissa me parece muito com o que anda acontecendo no Brasil nos últimos tempos.

Por essas terras tupiniquim, anda se modificando a verdade, se mudando a história, para mudar-se a legislação ao bel prazer dos poderosos.

E não venho aqui, escrever diante de vocês, para falar que ou Lula, ou Dilma ou Temer.. ou qualquer outro político é culpado ou inocente. Toda essa confusão e bipartidarismo, só gera mais ainda o que estão acima querem. Que todos foquem e briguem com seus “textões” no Facebook, com palavras rasas e fundamentações escassas, sobre quem é mais culpado do que quem.

Esquece-se que todos eles, desde que o Brasil tem esse nome, agiram de forma diferentes, mas me parece que com um objetivo igual.

Alguns se manqueiam de direita, ou de esquerda e vão enganando a população, pensando só em proveito próprio, como sua releição, ou em proveito das pessoas próximas deles, com inúmeros pagamentos irregulares de valores exorbitantes.

E agora, para finalizar, a população é mais uma vez enganada com a reforma trabalhista, achando que o Brasil precisa que os empregados trabalhem mais, ganhem menos, e assim, todo mundo será rico.

Ledo engano, daquele desconhecedor da realidade trabalhista no nosso país, que uma reforma que prejudique o trabalhador tanto como essa, vai ajudar o país a se tornar um lugar melhor para viver.

Então, o que podemos fazer?

Agora mais do que nunca, é importante que escolhamos melhor nossos políticos, acompanhemos de perto quem anda fazendo o que com nosso dinheiro.

É hora de se informar, conhecer melhor os seus direitos, saber o porque de que nosso país anda da forma que está. A culpa é nossa de não prestarmos atenção no que a direito, esquerda ou centro anda fazendo com as leis.

Além dos fatores externos, é hora também de verificarmos também o que anda acontecendo em nossa própria “casa”. Por exemplo, muito dos clientes que converso, se quer já olharam seu CND INSS e sua Certidão Negativa da Receita Federal. Só vão saber com quanto vão se aposentar na hora de sua aposentadoria, o que na maioria das vezes é tarde demais.

É hora de colocarmos a rédia curta nos políticos. Acredito seriamente que um país unido poderá se fortalecer e se livrar das amarras impostas por eles.

Que todos vejam através de toda essa confusão que agora reina, essa divisão que só machuca nossos direitos.

Espero que a população enxergue a tempo e que possa reverter este quadro.

Um forte abraço.

Post feito com parceria com o site: http://www.ihj.org.br/